Mercado de Trabalho Suíço

Berna, 2015/06 – As consequências do franco forte são sobrepostas atualmente no mercado de trabalho suíço por efeitos sazonais. Assim, o número de desempregados registados nos centros regionais de emprego (RAV) no final de maio baixou em relação ao mês anterior, em 4.782 ficando assim 136 349. Comparado ao ano passado, no entanto, um aumento de 4,6% foi registado.

Aumento em relação ao ano anterior
De acordo com a Secretaria de Estado para Assuntos Económicos (Seco), a taxa de desemprego caiu de 3,3% para 3,2% em abril. No entanto, em comparação com o ano anterior foi 0,2 pontos percentuais mais elevado. Da mesma forma, a taxa de desemprego dos jovens, regrediu para 2,9% de 3,1%. Comparado ao ano passado, o aumento também se elevou em 0,2 pontos percentuais. Não considerando o efeito sazonal, a taxa de desemprego manteve-se em relação ao mês anterior em 3,3%. Anteriormente, ela oscilou durante mais de um ano entre 3,1% e 3,2%.

Menor tempo de trabalho
A abolição da taxa mínima de câmbio do euro reflete-se diretamente no aumento do trabalho a tempo reduzido. De acordo com a Seco 5.066 pessoas foram afetadas pela redução do tempo de trabalho em março, representando um aumento de 41% em relação ao mês anterior. O número de empresas com trabalho a curto prazo aumentou 29,8% para 519.

Deterioração esperada
No verão pode-se esperar uma reversão no mercado de trabalho suíço, dado que gradualmente são eliminados os efeitos sazonais. Os principais indicadores apontam para um agravamento da situação. O Seco não mudou a previsão dada em março para uma taxa média de desemprego de 3,3% para o ano corrente.